Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Palimpsesto

"Para sobreviver é preciso contar histórias“

29 Dez, 2020

Sísifo

Parte I

Vi Sísifo a sofrer grandes tormentos,
tentando levantar com as mãos uma pedra monstruosa.
Esforçando-se para empurrar com as mãos e os pés,
conseguia levá-la até ao cume do monte, mas quando ia
a chegar ao ponto mais alto, o peso fazia-a regredir,
e rolava para a planície a pedra sem vergonha.
Ele esforçava-se de novo para a empurrar: o suor
escorria dos seus membros; e pó da sua cabeça se elevava.
 
Odisseia 11. 593-600

 

Sísifo era um homem astuto. Filho de Éolo, o guardião dos ventos, e Enarete, foi o fundador da cidade de Corinto. Por duas vezes enganou a morte e, consequentemente, no fim da vida, foi severamente punido.

Sísifo pertencia aos habitantes primevos da terra, aqueles a quem ainda era permitido observar as proezas dos deuses. Naquela época os deuses encontravam-se demasiado expostos nas suas vidas privadas e nas suas características mais obscuras. Ora Zeus, como se sabe, não gozava de boa fama, era um mulherengo terrível, incapaz de controlar os seus impulsos e desejos.

O rapto da bela Egina, filha do deus-rio Ásopo, fora testemunhado por Sísifo. Zeus, que nem por isso era muito discreto, estava longe de adivinhar, até porque Sísifo guardou segredo o tempo suficiente para negociar com Ásopo um pagamento decente pela informação. A Fonte de Pirene fora um preço justo.

Zeus ficou furioso e enviou Thanatos no encalço do traidor, mas Sísifo conseguiu enganar a morte. Acorrentou Thanatos com um belo colar e palavras sedutoras, interrompendo assim o ciclo da vida para os mortais, o que deixou ainda outros deuses furiosos, nomeadamente Hades e Ares.

Ares conseguiu libertar Thanatos, e a morte perseguiu Sísifo uma vez mais. Valeu-lhe de novo a astúcia. Deu instruções a sua esposa Mérope para que não realizasse as honras fúnebres que lhe eram devidas. Hades estranhou e anuiu ao pedido de Sísifo de voltar ao mundo dos vivos para punir a esposa, prometendo-lhe que voltaria. Claro que não voltou... O mais astuto dos homens conseguira enganar os deuses... outra vez!

Diz-se que Sísifo viveu por muitos anos com sua esposa, na cidade de Corinto da qual foi rei. Ambos tiveram vidas boas e morreram de velhice.

Ao chegar ao mundo inferior, pela segunda vez, Sísifo foi finalmente punido. Esperava-o um tormento eterno que consistia em rolar uma grande e pesada pedra até ao cimo de um monte, mas sempre que estava quase a atingir o cume, a pedra rolava de novo até ao ponto de partida e Sísifo tinha de começar tudo de novo.

Hades prometera-lhe que se ele conseguisse fazer a pedra rolar pelo lado oposto do monte o seu suplício acabaria mas, Sísifo nunca o conseguiu.

Continua...

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.